Menu Superior Horizontal

  • E
  • D
  • C
  • B
  • A

ARTIGOS

domingo, 4 de janeiro de 2015

GOD OF WAR, CANDOMBLÉ E PROTECIONISMO RELIGIOSO


Uma das frases mais repetidas é: "religião não se discute". E vem acompanhada das seguintes: "política e futebol também não".

No programa domingão do faustão do dia 04 de janeiro de 2015, em um quadro denominado saco de risadas, quem assistiu pôde ver três comediantes "alegrando" espectadoras/es e telespectadoras/es, sendo um deles vestindo indumentária e afirmando ser a divindade Yemanjá, do panteão afro-brasileiro.

Impressiona a falta de respeito com a crença que não é judaico-cristã, que foi caracterizada como invejosa, briguenta e num dos momentos de maior desrespeito, quando tenta agredir uma das bailarinas do faustão, ela "planta bananeira" e é retirada do palco, podendo se ver quando um dos comediantes que participava da cena chutar aquele que se designava como a divindade.

A intolerância religiosa deve ser combatida em todas suas manifestações. Da mesma forma que se busca respeito para as divindades religiosas afro-brasileiras, também deve-se contestar representações depreciativas de padres, freiras, pastores, papas e qualquer manifestação que esteja atrelada a fé que se professa.

Pense além: qualquer representação, seja em imagens, canções etc,do deus judaico-cristão é logo tachada de herege, pede-se que seja retirada do ar, das bancas, pensa-se até em processar juridicamente.

Mas aqui pergunto: e God of War? Aquele jogo muito famoso e que retrata várias divindades gregas bem violentas, perversas e afins? Ainda que haja uma indústria cultural que ganhe e muito com o jogo, devemos considerar que são parte da religiosidade de um povo. (aqui não trataremos das metamorfoses sofridas pela religiosidade grega, mas fica o ponto para você pesquisar, ok? ;) )

Apenas pense mais um pouco: quando se trata da religiosidade judaico-cristã, a depreciação, o desrespeito raramente atingem o deus supremo, ficando restrito aos papas, padres, pastoras, freiras. No caso das religiões afro-brasileiras, o ataque é direcionado aos deuses e deusas - as/os próprias/os.

É tão naturalizado que nem se notam essas práticas discriminatórias que vão desde palavras até jogos, aparentemente, inofensivos.


Aqui você confere uma montagem que foi feita sobre uma parte da Capela Sistina pintada por Michelângelo e que mostra o personagem do jogo God of War se preparando para atacar a representação católica de deus. Muita polêmica causou e ainda causa. A outra foto mostra o momento de desrespeito exibido em rede nacional no domingão do faustão.

pense FORA DA CAIXA    #penseFORADACAIXA

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário