Menu Superior Horizontal

  • E
  • D
  • C
  • B
  • A

ARTIGOS

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

PRIVATIZAÇÃO - O QUE É, COMO SE FAZ E SEUS RESULTADOS

Palavra fácil nos discursos políticos recentes, privatização é mais que doce conceitual na boca da galera. Entender o que é e, principalmente, seus resultados, é fundamental para a tomada de decisões eleitorais que se aproximam e para entender projetos políticos anteriores e vindouros.

1. O QUE É

Privatização é quando se vende um setor da economia para empresas ou grupos que podem ser nacionais ou internacionais. Essas empresas passam a prestar o serviço que antes era realizado pelo Estado.

2. POR QUE ACONTECE

É comum se afirmar que privatizações são realizadas pois o Estado não consegue prestar o serviço com qualidade. A privatização acontece, então, para que um grupo ou empresa faça o que o Estado não tem condições de fazer.

3. POR QUE REALMENTE ACONTECE

As privatizações acontecem, na verdade, para atender aos interesses do capital, principalmente internacional. Grupos que compram o direito de explorar setores da economia o fazem pois são setores financeiramente rentáveis - MUITO RENTÁVEIS.

Os investimentos que são feitos e que melhoram a condição do serviço ou ampliam a exploração do setor não são realizados com objetivos de melhorar a economia do  país ou a qualidade de vida da população que efetivamente precisa de serviços melhores.

São o mínimo de investimento que deve ser feito para ter retorno várias vezes maior.

4. COMO ACONTECEM

São realizados leilões através dos quais as empresas/grupos interessados dão lances a partir de um valor mínimo.

5. QUAIS OS PROBLEMAS DAS PRIVATIZAÇÕES

São vários, mas tratemos dos mais simples:

a. o rendimento que as empresas privatizadas têm é infinitamente superior ao valor pelo qual foram vendidas. Você pensou, provavelmente: "mas foi porque as empresas investiram"...

Sim, até foi. O que chamo atenção é para o fato de que os setores que foram privatizados, se recebessem o investimento necessário, renderiam para o Estado -  por extensão para o população - esses lucros que seriam reinvestidos em infra-estrutura para a própria população.

A Cia Vale do Rio Doce nos dá exemplo interessante: foi vendida por três bilhões de dólares. Sabe qual foi o faturamento da empresa depois? Eu te digo: dez bilhões de dólares.

Considere que o projeto da Vale implicava a ampliação de extensa malha ferroviária que serviria tanto para o transporte do minério extraído quanto da população. Ou seja: qualidade de transporte.

b. empresas privatizadas visam o lucro - apenas. Pense um pouco mais: quando ocorrem crises e grassa o desemprego, o que temos notícias: demissões em massa em empresas particulares. Se há possibilidade de redução de lucros, a ação das empresas que administram as privatizadas é demitir. O motivo? Reduzir a folha de pagamento.

6. HÁ SOLUÇÃO?

Sim. Algumas delas são indigestas para as empresas/grupos que ganharam os leilões: encampamento ou nacionalização, ou seja: o Estado retomar o controle e EFETIVAMENTE administrar o setor da economia objetivando atingir o bem-estar da população.

7. O QUE PODEMOS FAZER?

Reagir contra privatizações. Se informar. Engrossar os movimentos sociais para ampliação de direitos e impedir retrocessos. A democracia está sempre sob ataque e o que aparenta ser bom para a democracia pode esconder retorno a situações de ampla miséria.

Há muitos discursos em favor da privatização e que se esquecem dos resultados que o Brasil ainda está tendo depois do ciclo de ataques contra o Estado iniciado com o governo de Collor.

O documentário PRIVATIZAÇÕES - a distopia do capital, de Silvio Tendler, pode nos ajudar a lembrar como foram feitas as privatizações no país e seus resultados, além de inseri-las no contexto de ação do neoliberalismo no mundo.

É um assunto espinhoso, mas que diz respeito ao nosso bem-estar.

Pense FORA DA CAIXA.












Reações:

0 comentários:

Postar um comentário