Menu Superior Horizontal

  • E
  • D
  • C
  • B
  • A

ARTIGOS

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

AMOR, SEXO E HETERONORMATIVIDADE

Sexo não define Amor. Aquela coisa que tanta gente sente e não sabe explicar. Escreveram certa vez que quando se ama, não se consegue responder o motivo de se amar. Quando se consegue responder, não é Amor.

O processo de socialização, contínuo, ininterrupto, direciona sentimentos, desejos, quereres. E é nesse processo que se normatiza o Amor.

O sexo não deveria definir quem se deve amar. O sexo, entretanto, é usado para controlar o que se deve sentir e por quem se deve sentir, produzindo corpos dóceis (aparentemente). É a socialização a serviço da heteronormatividade.

O controle sobre os corpos deve ser problematizado em favor de uma existência mais rica e menos adoecida.

Se permita

Sinta FORA DA CAIXA

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário