Menu Superior Horizontal

  • E
  • D
  • C
  • B
  • A

ARTIGOS

domingo, 27 de outubro de 2013

ENEM 2013 - COMENTÁRIOS



 A prova de Ciências Humanas e suas tecnologias trouxe uma abordagem interdisciplinar interessante.

Das 45 questões, 19 poderiam ser resolvidas com conhecimentos de Sociologia, o que considero importante por valorizar mais as aulas dessa disciplina.

A citação de obras de pensadores clássicos, mais uma vez, levou @ estudante a se aproximar da Filosofia. Maquiavel (comemorando 500 anos de publicação d’O príncipe) esteve presente, Montesquieu, Kant, Descartes, Marx e, interessante surpresa, Bentham.

A questão 37 (rosa) merece destaque por abordar a questão da terra no Brasil a partir de duas visões de representantes de grupos que estão em lados distintos: o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e os representantes do agronegócio. Mais uma vez o ENEM traz o elemento problematizador da realidade social, uma vez que, ao expor dois posicionamentos, leva @ estudante a superar as visões dicotômicas e muitas vezes equivocadas acerca da questão da terra no Brasil e se ater ao entendimento mais profundo, histórico, sociológico e mesmo filosófico da questão.

As questões abordaram temáticas contemporâneas, como movimentos sociais, especificamente os movimentos feminista e LGBTT - e sua relação com a cidadania. As questões de gênero também estiveram presentes, o que mostra um olhar sobre a situação social brasileira que corresponde ao objetivo do ENEM.

Algumas questões suscitaram maior atenção dx fera, como por exemplo a questão tratando da Morte na idade média e como a vida contemporânea se relaciona com o fim da vida.

O conteúdo acerca da história cultural dos povos africanos foi contemplado e uma questão merece ressalva positiva: a que aborda a memória acerca do continente. Nela foram usadas referências a  filmes que tem como ambiente África ou personagens oriundos desse continente. Essa questão reivindicava que @ estudante identificasse a representação equivocada que muitas produções veiculam como a de que não há modernidade ou sequer humanos, caso da produção Rei Leão. Ponto para o INEP.

Ainda em relação  a história cultural dos povos africanos e sua relação com o Brasil, a questão 42 (rosa), coloca no enunciado que o candomblé é de origem africana. O candomblé não é de origem africana, mas de matriz cultural africana: não existe candomblé em África. A diversidade cultural dos africanos trazidos para o Brasil e a necessidade de cultuar suas divindades levou ao que foi definido como sincretismo religioso e a criação dessa religião. Mas a questão trouxe a relação África – Brasil no âmbito cultural, o que é muito positivo.

O uso de imagens nas questões também esteve presente no ENEM 2013, com charges e reprodução de fotografias além de infográficos. Para a área de História, tivemos as questões (rosa) 19 e 33. A primeira tratando da aquisição do direito de voto pelas mulheres e como foi a recepção nos lares brasileiros e a segunda com as representações em pintura e fotografia dos ex-imperadores do Brasil, D. Pedro I e D. Pedro II, respectivamente.

A república brasileira marcou presença em várias questões, sendo uma que chama a atenção por, talvez, a possibilidade de gerar dificuldades por exigir a lembrança de datas específicas para resolvê-la: a número 28, acerca do bipartidarismo estabelecido pelo presidente Castelo Branco, após o golpe civil-militar.

A prova, de maneira geral, traçou um caminho entre o médio e o difícil. Requerendo d@s estudantes atenção para a leitura, a comparação de pontos de vista e a leitura e análise de imagens.

Agora é só esperar a divulgação do gabarito oficial e as provas da 2ª fase da UFPE e a prova da UPE.

PENSE FORA DA CAIXA.
Tenha HISTÓRIA NA CABEÇA.


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário